2008-02-28

O Último Grito

Estou num daqueles dias que as cores ficam menos nítidas. Nenhum motivo em especial, nada com algum teor de gravidade. Apenas uma introspectividade súbita. Ou nem tão súbita asssim. Eu preciso entender que nem sempre as pessoas atenderão e entenderão os meus anseios. Não acho nome para definir o sentimento que me absorve. Sei que tem resquícios de decepção e desapontamento. Preciso aprender a domar a inquietude da minha alma. Preciso conter essa ânsia de viver excessiva que jorra de dentro de mim. Isso nem sempre é bem-vindo ou bem-visto. Existem pessoas que se incomodam. E eu tenho que respeitar e me calar. Só não venham, essas mesmas pessoas, me falar em meio termo, equilibrio ou radicalismo. Eu sou 8 ou 80 e nunca escondi isso. Se meu grito está sendo recriminado eu prefiro silenciar de uma vez por todas, então por favor, aceitem o meu silêncio como fim de caso e não venham me dizer que bastaria falar baixo.

|


5 : Adicione seu Ingrediente (Blogger):

Doum disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcelo disse...

Estamos no mesmo barco então, Cin.
É algo como decepção e desapontamento. Como cores menos nítidas, opacas.
Faz algum tempo que ando assim...
Como se algum órgão vital em meu corpo não estivesse funcionando bem, ou como se minha alma tivesse ido dar uma volta e só ficou aqui a casca, o casulo...
Mas isso passa, não passa?

Beijinhos, fofa.

Mariah só Mariah disse...

as vezes o silêncio é a melhor opção...as vezes o barulho do silêncio é insuportável. no silêncio a cabeça fica mais agitada, fica mais difícil nominar os pensamentos...
as vezes o silêncio incomoda.
mariah

Malashicage disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Cantinho da Lane disse...

quer um conselho, dê tempo ao tempo.. só ele pode mostrar algumas coisas q no momento não conseguimos entender...
tenha um ótimo fim de semana e beijoca no coração!